domingo, 14 de outubro de 2012

Opinião Dança Com o Diabo






Título Original: Dance with the Devil
Título: Dança com o Diabo
Autora : Sherrilyn Kenyon
Editora: Chá das Cinco (Saída de Emergência)
Edição: Maio 2010


Opinião do Blog " Ler Por Gosto Não Cansa!"



"Zarek e Astrid. Escravo e Ninfa. Uma mistura tanto perigosa como doce.
Tinham-me avisado que não iria resistir a este volume, mas eu mantive-me céptica até ao primeiro encontro entre estes dois.
Zarek é o típico contraste de personalidade. Irritante e mau, com os seus comentários causticos e imprevisíveis, acaba por ser um homem doce e cuidadoso, não só com Astrid mas também com Simi.
Este volume está recheado de mal-entendidos que vão ser a causa de toda a hostilidade que Zarek transpira.
Outro contraste que adorei foi o facto deste homem grande e musculoso, mau como às cobras e insensível, ir citando O Princepezinho e se ir transformando ao longo do livro, sempre seguindo os exemplos e ensinamentos desta obra, terminado num semi-deus perfeito para Astrid, uma ninfa que se diz dormente por ter perdido toda a esperança na bondade de tudo e todos. Gostei bastante desta personagem feminina. Não é muito corajosa nem muito forte, mas tem os valores ideais e que admiro.
Dança com um Diabo é um livro demasiado rápido de se ler, mas que contém tudo nas doses certas, tanto o romance, como o passado de Zarek e de Acheron, ou até de luta e segredos revelados.
Mais uma vez adorei o final, que se revelou ser tão perfeito como esperava, mas surpreendentemente inesperado pelas revelações que encontramos.
Se gostaram dos anteriores este apenas vai servir para vos provar que Sherrilyn Kenyon não nos desilude, pelo contrário, cada vez nos delicia mais com os seus Predadores da Noite, Caçadores de Dia, Deuses, Demónios, Daemons e Apollites."
Frases Preferidas:
"Mais cedo ou mais tarde todos dançamos com o diabo. Esta noite, é a tua vez." página 262


Opinião do Blog BranMorrighan






"Dança com o Diabo é o quarto livro da saga Predadores da Noite. Neste livro conhecemos melhor o Predador da Noite Zarek.
Zarek está exilado no Alasca há mais de nove séculos com o mínimo contacto humano possível e com as mínimas condições possíveis. A sua casa é rude, ele dorme no chão, não suporta que lhe toquem e não deixa ninguém aproximar-se dele. Morreu como escravo e assim se julga como tal.
Algo de muito errado se passou na última missão de Zarek há mais de novecentos anos atrás. Com imagens confusas e tudo muito baralhado, Zarek só se lembra de ver morte à sua volta e julga-se culpado pela destruição da aldeia que era suposto estar a proteger. Ártemis quer condená-lo à morte mas Acheron não deixa, conseguindo que a vida de um dos seus predadores fosse poupada, mas com a troca de este ficar exilado do mundo.
No livro anterior, O Abraço da Noite, foi-lhe dada uma hipótese para mostrar que ele tinha mudado. Que conseguia ser sociável, mas até aí as coisas correram mal. Zarek tem agora a cabeça a prémio. Mas mais uma vez, Acheron consegue negociar com a Ártemis o julgamento de Zarek. Astrid, uma das ninfas, é agora responsável por julgar Zarek inocente ou culpado. E quando as vidas destes dois personagens se cruzam, nada fazia prever o que viríamos a descobrir.
Este livro acaba por ser bastante centrado em Astrid e Zarek. A evolução da relação entre os dois personagens principais tem um pouco de tudo. Diversão, tristeza, angústia, sofrimento, amor e paixão. Mais uma vez, este livro tem uma forte componente erótica, o que tem vindo a ser característico em cada um dos seus livros. Mas o que é mesmo tocante na relação destes dois, é a forma como vemos a personalidade de cada um mudar. A forma como inconscientemente se adaptam um ao outro. Zarek tem sempre bem presente que não é zé-ninguém. Que é um mero escravo e sempre vai ser. Mas até esta sua ideia de si próprio vai sofrer uma transformação que a ver dele seria impossível.
Neste livro, a autora apresenta-nos uma nova personagem mitológica, Tánatos, o carrasco dos predadores da noite. É fácil de adivinhar o papel dele neste livro, não é?
Para além de Tánatos, é-nos dado a conhecer, mais um pouco, a história de Acheron. Quem é que é este homem misterioso? Humano? Semi-deus? Que criatura é ele? A única coisa que sabemos é que ele preocupa-se com os seus homens como ninguém.
E claro, adorei Simi. Simi é o demónio que vive e faz parte de Acheron. Tem tiradas tão engraçadas que não pude evitar de dar umas boas gargalhadas.
Um romance apaixonante, cativante e que por vezes nos deixa à beira das lágrimas. Sempre com uma linguagem simples, mas que nos leva ao vício, Sherrilyn Kenyon prima pela sua imaginação. A cada livro que passa admiro-a pelo número de situações diferentes, vidas diferentes que ela cria, cada uma mais curiosa do que a outra.
Resumindo, é mais um livro de uma série que estou a adorar ler."

Veja Também: 

Dança Com o Diabo - Livro 

Personagens Zarek e Astrid 


Links: 

Blog " Ler Por Gosto Não Cansa!"

Blog " BranMorrighan"